Bolha chinesa

Da Thinkfn
Aspecto da bolha Chinesa e respectivo crash.
A bolha chinesa foi uma euforia que tomou conta dos mercados accionistas Chineses, e levaria o índice de Shangai (SSE Composite) a subir 500% entre Maio de 2005 e Outubro de 2007.

Fundamento

Como em todas as bolhas, existiu primeiramente um motivo fundamental válido para iniciar a euforia, nomeadamente o crescimento económico forte da economia Chinesa. Porém, à medida que as cotações subiram, esse motivo fundamental foi substituído pelo próprio momentum do mercado. Centenas de milhar de contas eram abertas diariamente nos corretores chineses, a especulação abundava, e todos os IPOs subiam mais de 100% na sua estreia em bolsa.

Sinais

Os sinais de que se estava perante uma bolha irracional abundavam, pois muitas acções que cotavam em Shangai também cotavam em Hong Kong, e as mesmas acções, transaccionavam a forte prémio em Shangai. A arbitragem não era directamente possível visto que acções compradas em Hong Kong não podiam ser vendidas em Shangai, e os estrangeiros estavam também limitados no que podiam fazer no mercado Chinês.

Já perto do seu final, criou-se a ideia que, com a aproximação dos Jogos Olímpicos em Pequim no verão de 2008, o Governo Chinês não permitiria que o mercado sofresse um revés, pelo menos antes dos Jogos. Tal não encontrava verdadeiramente suporte nas acções desse mesmo Governo, visto que as medidas tomadas no sentido de arrefecer o mercado foram várias, desde subidas de taxas de juro, subida de reservas bancárias, até ao aumento do imposto sobre transacções.

O Crash

Inevitavelmente, a bolha estoirou. Levando a uma queda, desde Outubro de 2007 até ao presente (Outubro de 2008), de cerca de 67% ou seja, 2/3 da valorização no topo.