Pesquisa
 

Indicador TRIN

Da Thinkfn

Revisão das 15h31min de 10 de Fevereiro de 2009 por Bmwmb (discussão | contribs)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão actual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

O indicador TRIN é um oscilador (breadth oscillator) que ajuda a determinar a força ou fraqueza interna de um mercado. Em essência, indica se o volume está a fluir para os instrumentos em ascensão ou em declínio. É normalmente usado para a negociação de curto prazo.

TRIN é um acrónimo da designação inglesa the Trading Index. Também conhecido como o indicador ARMS, este indicador foi desenvolvido por Richard Arms na década de 1970. Este indicador pode ser aplicado a um índice ou a um cabaz de acções. Algumas fontes referem-se ao indicador TRIN, quando aplicado a todo o New York Stock Exchange (NYSE), como o "NYSE Short Term Trading Index".

O TRIN representa a relação entre o número de instrumentos em ascensão e declínio (advancing and declining issues) e o fluxo de volume para cada um deles. Por outras palavras, ele calcula-se dividindo o rácio de Instrumentos Ascendentes/Descendentes (AD) pelo rácio dos volumes desses instrumentos. Assim:


{TRIN} = \frac {instrumentos\ ascendentes/instrumentos \ descendentes}{volume\ dos\ ascendentes/volume\ dos\ descendentes}


O indicador TRIN calculado para o mercado americano NASDAQ (TRIN-NASD). Na imagem inferior, a média móvel de 10 dias do TRIN-NASD com as indicações de sobrecompra (a vermelho) e sobrevenda (a verde). Na imagem superior, as indicações são sobrepostas no índice NASDAQ 100 (NDX).

Esta fórmula indica se o volume está a fluir para os instrumentos em ascensão ou declínio. O TRIN resulta num valor invertido, isto é, inferior a 1,0 quando os instrumentos em ascensão são a principal fonte de volume, e superior a 1,0 quando os instrumentos em declínio são a principal fonte do volume.

As análises baseadas no indicador TRIN têm evoluído ao longo dos anos. O conceito original de Richard Arms era o de usar o TRIN como indicador para detectar níveis críticos do mercado, aos quais um índice ou cabaz de acções se torna sobrecomprado ou sobrevendido. Richard assumia que um mercado estava sobrevendido quando a média móvel de 10 dias do TRIN descia abaixo de 0,8 e, de modo inverso, sobrecomprado quando a média móvel subia acima de 1,2.

De modo geral, um TRIN ascendente indica um sentimento negativo (bearish) e um TRIN descendente indica um sentimento positivo (bullish). Desta forma, o TRIN tem uma relação inversa com o TICK.

Índice

Cálculos do TRIN pelos fornecedores de dados

Vários fornecedores de dados efectuam automaticamente o cálculo do TRIN para diversos mercados e índices e disponibilizam-no aos clientes sob diversos códigos, por exemplo, TRIN-NASD, TRIN-NYSE e TRIN-AMEX.

É de notar, no entanto, que a forma de cálculo não é consensual e se encontram diferenças entre os fornecedores de dados. As diferenças incidem no tratamento que é dado aos instrumentos que invertem a sua tendência durante a sessão, isto é, que estando em ascensão entram em declínio e vice-versa.

No início de 2008, a Interactive Brokers fazia o cálculo de forma que os volumes já registados em ascensão ou em declínio não transitavam para os volumes opostos caso o instrumento invertesse a tendência. O cálculo fornecido no IQFeed, no entanto, transitava para o volume oposto os volumes já registados caso o instrumento invertesse a tendência.

Este ponto pode ser melhor compreendido, tomando como exemplo um mercado com um único instrumento, que regista um volume de 100 em ascensão, inverte a tendência e regista um novo volume de 100 em declínio. A Interactive Brokers, a meio do movimento (portanto após a ascensão) registará um volume ascendente de 100 e volume descendente de 0; no fim do movimento (portanto após o declínio) o volume ascendente mantém-se em 100 e o descendente está agora a 100. O IQFeed, a meio do movimento registará um volume ascendente de 100 e descendente de 0; no fim do movimento o volume ascendente é 0 e o descendente 200. Portanto, no IQFeed, quando um instrumento inverte a sua tendência todo o volume registado nesse instrumento transita para o volume oposto.

A ilustração do TRIN na imagem acima tem por base os dados da Interactive Brokers.

Figura 1. TRIN para situação de equilíbrio entre volume ascendente e descendente.
Figura 2. TRIN para situação de maior volume ascendente do que descendente.
Figura 3. TRIN para situação de maior volume descendente do que ascendente.

Compreender o TRIN

As figuras 1 a 3 ilustram três cenários de mercado que permitem compreender a mecânica de comportamento do TRIN.

Cada exemplo tem por base um cabaz com 10 instrumentos e representa diversos cenários de combinações possíveis entre os instrumentos ascendentes e descendentes.

Os instrumentos são representados à esquerda das tabelas e encontram-se numerados de 1 a 10. Os diversos cenários são representados nas colunas verticais.

As tabelas apresentam o volume feito, por unidade de tempo (por exemplo, 1 segundo) para cada instrumento em cada cenário. Se o instrumento é ascendente o volume tem fundo verde. Se o instrumento é descendente o volume tem fundo vermelho.

Temos portanto, na coluna mais à esquerda de cada tabela, uma situação de mercado em que todos os instrumentos estão a cair. Progredindo para a direita, um número cada vez maior de instrumentos está em ascenção. A meio da tabela, 50% dos instrumentos sobem e 50% descem. E, na coluna mais à direita, a situação de mercado em que todos os instrumentos estão em subida. As situações extremas mais à esquerda e à direita resultam numa divisão por zero ao calcular o TRIN, portanto em erro.

Na figura 1, é ilustrada a situação em que existe um equilíbrio entre o volume ascendente e descendente. Por outras palavras, os volumes individuais dos instrumentos ascendentes são semelhantes aos volumes individuais dos instrumentos descendentes, embora os totais desses volumes para todo o mercado sejam diferentes. No exemplo, todos os instrumentos têm volume 100. Portanto, o volume flui de forma semelhante para todos os instrumentos.

É interessante notar que, neste caso, independentemente da proporção de instrumentos ascendentes em relação aos instrumentos descendentes, portanto independentemente do cenário ser de subida ou de descida generalizada do mercado, o TRIN é o mesmo para todos os cenários: 1,0. Isto reflecte o equilíbrio entre o volume que está a fluir individualmente, em média, para os instrumentos ascendentes e para os descendentes. Por ser subtil, este ponto merece ser analisado em detalhe até ser compreendido pelo leitor.

Nas figuras 2 e 3, que apresentam situações de mercado em que o volume flui de forma desigual para os instrumentos ascendentes e descendentes, verifica-se a mesma igualdade no resultado do TRIN e, uma vez mais, independentemente do cenário ser de subida ou descida generalizada do mercado.

Na figura 2, o volume que flui para os instrumentos ascendentes é superior em média ao volume que flui para os instrumentos descendentes. Consequentemente, o TRIN desce.

De forma inversa, na figura 3, o volume que flui para os instrumentos descendentes é superior em média ao volume que flui para os instrumentos ascendentes. Consequentemente, o TRIN sobe.

Em conclusão, o TRIN pode ser entendido como um indicador que reflecte se o fluxo de volume é, em média, semelhante para os instrumentos ascendentes e descentes (TRIN igual a 1,0), superior para os ascendentes (TRN inferior a 1,0) ou superior para os instrumentos descendentes (TRIN superior a 1,0). E, por uma última vez, independentemente do cenário ser de subida ou descida generalizada do mercado.

Ver também

Links externos