EV/FCF

Da Thinkfn
EVFCF.PNG

O EV/FCF é um dos rácios financeiros mais importantes. A principal vantagem do EV/FCF sobre o PER é o facto de que o EV/FCF leva em conta a estrutura financeira da empresa por via do uso do enterprise value. A principal vantagem do EV/FCF sobre o EV/EBITDA é que leva em conta investimentos em capex necessários à manutenção e expansão da capacidade produtiva da empresa. Consoante a forma como o FCF (free cash flow) seja calculado, pode também levar em conta variações do fundo de maneio necessárias à actividade da empresa.

O EV/FCF é utilizado com alguma frequência na comparação dos níveis de valorização dentro de uma mesma indústria (embora menos que o EV/EBITDA, visto que o cálculo do FCF com critérios consistentes afigura-se mais difícil), podendo-se também calcular EV/FCF da totalidade da indústria.

Cálculo

A fórmula para calcular o EV/FCF é, como indica a sigla:

\mbox{EV/FCF}=\frac{\mbox{Enterprise\ Value}}{\mbox{FCF}}

Vantagens

A principal vantagem do EV/FCF é providenciar uma medida de valorização de cada empresa, mas sobre outros rácios financeiros. Podemos ainda referir:

  • O EV/FCF leva em conta a estrutura financeira da empresa, por via da utilização do conceito de enterprise value;
  • O EV/FCF não é afectado por diferentes políticas de amortização, que frequentemente podem distorcer medidas baseadas no resultado líquido como o PER;
  • O EV/FCF leva em conta necessidades de investimento em capex, bem como necessidades de investimento em fundo de maneio, dando uma ideia mais correcta da capacidade da empresa de remunerar os capitais que a financiam.

Defeitos

O EV/FCF tem alguns defeitos óbvios:

  • Como muitos outros rácios, é estático e não leva em conta o diferente crescimento das diferentes empresas, pelo que não se pode dizer que um nível mais baixo de EV/FCF corresponda necessariamente a uma empresa mais barata;
  • Também não leva em conta a capacidade da empresa reinvestir os fundos que gera a taxas elevadas, o que permite maior crescimento futuro (ou seja, não leva em conta o ROE);
  • O EV/FCF como muitos outros rácios é extremamente enganador na análise de empresas cíclicas, pois estas tendem a possuir EV/FCFs baixos no topo do ciclo (pois começam a descontar o fim inevitável deste), e EV/FCFs elevados (ou mesmo inexistentes devido aos prejuízos) no fundo do ciclo;
  • As estimativas de capex de cruzeiro, bem como de necessidades de fundo de maneio, são algo subjectivas e voláteis e podem influenciar substancialmente o FCF e por consequência, o EV/FCF.