Desastres em derivados

Da Thinkfn

Os derivados são instrumentos financeiros complexos. O seu valor deriva, de formas por vezes complicadas, de outros instrumentos e variáveis já de si bastante complexos. Inicialmente concebidos como mecanismos de transferência de risco, são cada vez mais utilizados como instrumentos especulativos que permitem uma fácil e grande alavancagem. Este factor tem contribuído para algumas das falências mais espectaculares do mundo financeiro. Entre as mais conhecidas contam-se:

Orange County (Califórnia)

Em 1994 ocorreu a maior falência municipal dos Estados Unidos, a do county de Orange, na Califórnia. O Orange county declarou falência ao abrigo do Chapter 9 a 6 de Dezembro de 1994, espantando os mercados ao declarar um prejuízo de 1600 milhões de USD nos seus fundos de investimento. Bob Citron, tesoureiro do county alavancou o fundo de 7500 milhões de USD até um total de 20.500 milhões de USD, usando derivados sobre taxas de juro para apostar na descida destas taxas. Infelizmente, em Fevereiro de 1994 o FED iniciou uma série de seis subidas consecutivas das taxas de juros; o county ficou impedido de gerar os cash flows necessários para manter as suas operações e foi forçado a liquidar as posições numa má altura.[1] Esta falência ilustra o efeito da liquidação forçada de posições alavancadas; se as posições não tivessem de ser liquidadas, eventualmente poderiam ter sido fechadas sem qualquer prejuízo quando o mercado mais tarde inverteu.

Barings Bank

Em 1995, Nick Leeson, um trader do Barings Bank do Reino Unido, destacado para o Mercado de Divisas de Singapura, realizou sem autorização investimentos de fraca qualidade em futuros sobre o índice Nikkei. A combinação de um histórico de sucessos seguido de más decisões de investimento da sua parte, falta de supervisão dos seus superiores, um ambiente regulatório algo ingénuo e um terramoto na cidade japonesa de Kobe que impediu a estabilização da queda do Nikkei, causaram que Leeson incorresse num prejuízo de 1300 milhões de USD que levou o Barings Bank, uma instituição financeira secular, à falência.[2].

Long Term Capital Management (LTCM)

Em Setembro de 1998, o hedge fund Long Term Capital Management declarou que durante Agosto perdera 44%, e 52% nesse ano, passando o seu capital de 4800 milhões de USD no início de 1998 para 2300 milhões de USD a 2 de Setembro. O prejuízo deveu-se sobretudo à decisão da Rússia de não cumprir parte das suas obrigações de dívida pública e de desvalorização do rublo, que moveu o mercado contra grandes posições deste fundo em futuros sobre obrigações. As alavancagens praticadas pelo fundo, de entre 50 a 100 vezes o seu capital, foram julgadas constituir um perigo suficiente para a economia global, que a Federal Reserve organizou um consórcio de bancos para tomarem as posições do fundo, interrompendo assim a sua liquidação forçada[3].

Amaranth Advisors LLC

Em Setembro de 2006, o Amaranth Multi-strategy Funds protagonizou a maior implosão, até então, de um hedge fund. O seu principal trader na área energética, Brian Hunter, investiu mais de metade dos activos da firma numa aposta que tinha funcionado nos dois anos anteriores: que o spread entre os futuros do gás natural dos meses do Inverno (contratos de Março) e do Verão (contratos de Abril) aumentaria. As reservas de gás natural e as condições atmosféricas fizeram os preços mover-se contra a posição, reduzindo o spread de 2 USD para 0,63 USD durante as duas primeiras semanas de Setembro. Só no dia 14 de Setembro de 2006, os fundos perderam 560 milhões de USD. Os prejuízos totalizaram 6600 milhões de USD.[4][5].

Referências

  1. ((en)) Philippe Jorion (2005). Orange County Case: Using Value at Risk to Control Financial Risk. Consultado a 2007-11-19.
  2. ((en)) Nick Leeson Biography. Consultado a 2007-11-19.
  3. ((en)) Gretchen Morgenson (24 Set 1998). THE MARKETS; Seeing a Fund as Too Big to Fail, New York Fed Assists Its Bailout. Consultado a 2007-11-24.
  4. ((en)) Katherine Burton and Jenny Strasburg (6 Dez 2006). Amaranth's Slide Began With Offer to Keep Star Trader (Update3). Consultado a 2007-11-21.
  5. ((en)) Nick Maounis (22 Set 2006). Investor Conference Call. Consultado a 2007-11-21.

Ver também