Pesquisa
 

Rácio financeiro

Da Thinkfn

Revisão das 18h15min de 6 de Março de 2010 por Incognitus (discussão | contribs)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão actual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Um Rácio financeiro é um rácio de valores escolhidos do relatório e contas de uma empresa, com o objectivo de determinar alguma característica financeira dessa empresa, seja a sua solvabilidade, risco, nível de valorização ou qualidade como investimento.

Existem muitos rácios já utilizados de forma sistemática para determinar a condição financeira de uma empresa. Esses rácios possuem utilidade tanto para pessoas internas à empresa (gestão da empresa) como para entidades exteriores (investidores, analistas, financiadores, fornecedores e clientes).

Índice

Fontes dos valores usados no cálculo

Os valores utilizados para calcular os rácios são provinientes maioritariamente de documentos produzidos pela empresa:

Podem ainda ser necessários valores oriundos de entidades externas como:

  • Valores produzidos em mercados (cotações, taxas de juro,etc);
  • Dados macroeconómicos;
  • Valores respectivos a empresas concorrentes na mesma indústria ou no mercado em geral, para efeitos de comparação.

Tipos de rácios financeiros

Os rácios podem ser classificados pela área que analisam, por exemplo:

Usos dos rácios

Os rácios financeiros permitem:

  • Estabelecer o nível de valorização de uma empresa;
  • Comparar esse nível ao de empresas no mesmo sector;
  • Comparar esse nível a empresas de sectores diferentes;
  • Comparar o nível de avaliação de sectores;
  • Comparar o nível de avaliação de mercados;
  • Comparar o nível de avaliação de produtos financeiros diferentes;
  • Comparar a evolução de uma mesma empresa em períodos de tempo diferentes.

Limitações dos rácios

A análise financeira conduzida através da análise de rácios financeiros, possui algumas limitações importantes, tais como:

  • Os rácios são dependentes da fiabilidade da Contabilidade, bem como dos critérios contabilísticos usados;
  • Os rácios só levam em conta aspectos quantitativos expressos na contabilidade, deixando de fora aspectos qualitativos, como patentes, marcas, know-how que podem ter grande relevância;
  • Quando o denominador de um rácio se aproxima de zero, o rácio pode sair distorcido e atingir valores muito elevados e sem significado;
  • Os rácios são mais fiáveis se aplicados a empresas do mesmo sector;
  • Pode ser mais importante a evolução temporal dos rácios, do que o seu valor num dado momento;
  • Os rácios financeiros são feitos com base em dados históricos, e podem não reflectir as expectativas para o futuro, inclusive o futuro próximo;